30 Abr 2010

Fonte das Bisalhas

Pertencendo à casa da antiga Quinta das Bisalhas, completa um notável conjunto agrícola do século XIX, famosa também pela sua água medicinal.

Fonte de Santo António

Construída em 1523 do lado de fora do Mosteiro com o brasão do benemérito prelado. Inicialmente colocada sobre a parede da cerca junto ao arco e depois mudada para o terreiro de entrada da igreja. A carranca por onde desagua, denominada S. Francisco, pertencia à Porta da cidade de Braga.

Bica de Real

Construída do início do século XX, localizando-se a meio da Calçada de Real, junto à Travessa do Cónego. Edificada em granito, com laivos de um estilo neo-gótico deformado, esta bica lança a água pela bocarra de uma carranca que parece simbolizar o Deus Baco, pois está ladeada de cachos de uvas e outros frutos.

Bica do Anel

Situada a meio do caminho do Anel, seguindo da Igreja de S. Francisco para Montélios, vamos encontrar um pequeno escadório que dá acesso, decorridos mais ou menos 20 metros, a uma fonte conhecida pela Bica do Anel, nome que lhe advém pela proximidade do monte do Anel. Trata-se possivelmente, de uma exploração de águas que vem do tempo do Arcebispo Dom Diogo de Sousa, quando este mandou abastecer o Convento de São Frutuoso de água.

Apresentava-se como um grande marco e tinha sobre si um relógio de Sol, na sua base encontrávamos um grande tanque, estando agora parcialmente destruída e em terreno particular.

Diz-se que esta bica foi feita para impedir que os particulares desviassem a água que ia para o Convento. Era uma fonte de muita utilidade aos peregrinos que se dirigiam a São Frutuoso.

Sobre esta fonte existe uma lenda que diz que era um sítio muito propício a assaltos de bandoleiros oriundos da Galiza que se aproveitavam da paragem dos viajantes e aí atacavam as suas vítimas, violentando as mulheres, assassinando os homens e despojando-os dos seus haveres. Diz-se até que ainda existem ossadas humanas enterradas no local. Na sua maior parte, os bandoleiros vinham disfarçados de monges, para assim recaírem as culpas sobre a Ordem da Piedade.

Bica do Monte

Situada no extinto Monte da Bica, lugar privilegiado para namoros, onde pares de namorados, desde tempos remotos, se encontravam nas tardes de verão. Esta fonte ou bica, com a edificação da nova escola e consequente urbanização, foi transferida para a entrada da Travessa do Paçadisso e depois passou a estar no muro da Quinta dos Lagos perto da variante de Real.

Fonte Velha

Esta fonte de mergulho está situada junto do passal paroquial.

Fonte com tanque

Integrada num conjunto composto por um tanque octogonal, ladeado por dois escadórios que dão acesso à parte superior e traseira, esta fonte barroca, defendida por um muro do pátio da Casa do Cónego, apresenta dois motivos de pedra em formato de jarros, muro recortado em ambos os acessos por ondeados e rematado por uma mitra. Esta fonte lança a água por uma bica, decorada à maneira barroca, com frontão e volutas e tem a encimá-la um nicho onde se albergavam uma estátua de pedra de Santo António e de São Pedro. Todo o conjunto é em granito da região e hoje é propriedade particular.

Fonte da Carranca

Defrontando um pequeno espelho de água, esta fonte, feita de granito e datada de 1653, lança a água pela bocarra de um leão, encastoada num muro que sustem as terras superiores. Este leão está encerrado numa espécie de nicho, rematado em arco e assente em duas ombreiras.